Regência do verbo Lembrar

Olá pessoal, estou com uma super dúvida ,pesquisei na internet, mas acabei não encontrando a resposta...
Então, quanto a regência do verbo LEMBRAR, eu sei que este verbo pode ter OBJ direto e indireto, mas quanto a estes exemplos:

1.Isso me lembra ( a ilícitos).
2.Isso me lembra ( ilícitos).
3.Isso me lembra (de ilícitos).

Eu sei que a regência do verbo "lembrar", assim como "esquecer" é a preposição "de" mas soa um tanto estranho nesse exemplo, realmente, neste caso não pode-se usar "a"?
E quanto a segunda possibilidade, poderia manter sem a preposição?
Avatar do usuário Marcio_Farias 230 2
Podemos empregá-lo com um artigo definido.

"Isso me lembra os ilícitos"

Não encontrei, na Internet, algo sobre "lembrar a"; encontrei -- isso sim -- o verbo lembrar e toda a sua regência no Google.

https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei ... %AAncia%22
Avatar do usuário Marcio_Farias 230 2
Um detalhe:

A construção 'lembrar de alguém ou de alguma coisa', com o verbo sem o pronome, só se admite na comunicação coloquial. No padrão culto, devemos evitar frases do tipo:

'Quando lembro dele me vêm lágrimas aos olhos'.
'Não lembraram de levar agasalhos'.
'Na rua, o memino lembrou das recomendações da mãe'.
'Joãozinho nem lembrava mais do que prometera'.

Em outras palavras, nos exemplos falta o pronome se.

In: Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa, de Domingos Paschoal Cegalla, 3. ed. (conforme o Novo Acordo Ortográfico).
Avatar do usuário Marcio_Farias 230 2
Em "Quando lembro dele..." falta o pronome me.
Neste caso o (a) está sendo empregado como artigo definido conforme o exemplo relacionado.

Paulo lembra a prima mais velha. (ele se parece com a prima mais velha)

Portanto o verbo em questão se classifica como transitivo direto, dada a ocorrência de o complemento não ser demarcado pelo uso da preposição.