Existe ou já existiu a palavra manteigado?

Eu sei que a palavra amanteigado é derivada da palavra manteiga. Mas recentemente, a professora da minha filha disse que manteigado também pode ser usada com o mesmo significado. Como nunca ouvi falar sobre esse termo fui ao dicionário, e nada encontrei.
Alguém poderia me ajudar?
Grata
Rita
Avatar do usuário p.paulo 585 10
Concordo com você, não existe o tal "manteigado" (seria um neologismo de quem usar a palavra, mas uma criação própria, não baseada em gramática ou na língua portuguesa corrente). Poderia ainda ser emanteigado, pouco usado, mas possível.
Consultei os dicionários brasileiros e portugueses e não achei também, e na minha experiência como leitor e aluno da língua portuguesa nunca vi assim antes.
Não sei se a professora em questão é razoável, mas há casos de professores não gostarem de ser "corrigidos" ou de admitir que são humanos (errar não é humano?). Mas é fato que, dependendo do caso, pode a professora fique predisposta a "ver sua filha" e os erros dela. Há chances.
Não sei, pode ser que haja uma maneira de conversar e se entender sem virar um cabo de guerra, e se esses "deslizes" não forem um fato recorrente pode-se relevar.
Eu, pessoalmente tenho uma política de ensinar e corrigir os trabalhos escolares e tentar reforçar um pouco o que a escola ensina (ou não - ou até "des-ensina"). Digo a eles que na escola é assim mas que deveria ser assim ou assado, ou que há outros modos de fazer, etc. Sei que eles precisam aprender com, sem, ou apesar dos professores!
Todavia, tenho um cuidado com o que eles me dizem, algumas vezes eles usam o tal de "na escola ensinam assim" com coisas do tipo 2 + 3 = 5 (eles também não querem dizer que erram). Não contradigo o que me é dito, mas mudo a equação para 4 - 2 = 2 ou coisa assim. Enfim, uso a lógica reversa e aproveito para ensinar do modo certo, ou até para ensinar (caso eles tenham tido 0 de percepção e aprendizado no assunto em questão).

Algumas vezes eu estou errado e dou o braço a torcer também. Aprendo também outras coisas no processo, só o que os pais não podem fazer é serem omissos. É o que eu penso! E tento complementar, acompanhar e fazer a minha parte.
Não é fácil, principalmente na fase de adolescência é preciso ter uma certa paciência, saber recuar, dar um descanso momentâneo a eles mas não desistir.
E finalmente, parabéns por sua capacidade perceptiva e por acompanhar a vida escolar e educacional de sua filha!